Biofábrica e BahiaGás realizam visita técnica a projeto de reflorestamento em aldeia Tupinambá

Após terem sido cumpridas as formalidades burocráticas, tiveram início os trabalhos no projeto de reflorestamento na Aldeia Igalha, do povo Tupinambá de Olivença, Ilhéus. Nessa terça-feira (2), representantes da BahiaGás e da Biofábrica, acompanhados do cacique Nani Sussuarana, visitaram as áreas onde serão plantadas as sete mil mudas de essências nativas da Mata Atlântica.


Participaram da atividdade a engenheira ambiental e o técnico administrativo da BahiaGás, Isabela Brito e Vandilson Trindade; o diretor-presidente e o diretor administrativo da Biofábrica, Jackson Moreira e Valdemir José dos Santos. Além das áreas de reflorestamento, também foi identificado o local de instalação de um viveiro para aclimatação e desenvolvimento das outras mudas, que serão produzidas pela própria comunidade indígena, no pós-projeto.


O projeto é regido por um convênio firmado no dia 15 de julho, que prevê ações ambientais em 6,5 hectares, que serão restaurados, reabilitados ou plantados com 7 mil mudas de essências florestais e variedades frutíferas, a exemplo de cacau, goiaba, açaí, graviola entre outras. Serão beneficiadas 150 famílias. O trabalho será desenvolvido pela Biofábrica, que vai atuar desde a produção das mudas até o plantio georreferenciado, com apoio da mão-de-obra da própria comunidade


Pelo convênio, as mudas serão plantadas em áreas de preservação permanente, devidamente georreferenciadas, preferencialmente às margens de corpos d’água e demais áreas de maior apelo sócio-ambiental. As ações devem seguir o que preconiza o Novo Código Florestal.


A Bahiagás executa a ação como forma de pagamento de serviços ambientais em reparação de danos causados ao meio-ambiente com a construção de seus gasodutos no estado.






28 visualizações0 comentário