top of page

Biofábrica realiza visitas de formação em comunidades rurais da Agricultura Familiar.

Com objetivo de difundir tecnologias e divulgar as possibilidades de acesso aos produtos da Biofábrica, foi realizada, na manhã de domingo (12), uma visita à comunidade do Novo Couto, na zona rural de Ilhéus. O público presente foi composto por pequenos sitiantes e agricultores familiares da Associação Agroecológica dos Moradores e Pequenos Produtores da Região, que teve a participação da presidente Lídia Maria Bitencourt e do tesoureiro Sérgio Oliveira. Na semana anterior, essa reunião foi realizada na comunidade do Japu.


O diretor presidente da Biofábrica, Valdemir dos Santos, fez uma explanação em que divulgou os produtos fornecidos pelo Instituto, a exemplo de mudas de cacau e demais frutíferas, mandioca e essências florestais. "Aproveitamos para explicar aos presentes sobre a necessidade do correto manejo das mudas para garantir maiores taxas de pegamento, reduzindo as perdas e otimizando as áreas plantadas", declarou Valdemir dos Santos.


A partir da atenção aos protocolos para garantir o sucesso do plantio, também foi levantada a necessidade de uma maior presença dos órgãos de assistência técnica e extensão rural para a agricultura familiar. A presidente da Associação, Lídia Maria Bitencourt, destacou que essa atenção deveria vir por meio de assistência técnica permanente, como já foi feito na época de maior atuação dos órgãos de extensão e assistência técnica estadual e federal. "A gente construía uma relação com os técnicos, que conheciam nossas propriedades, indicavam as correções, nos auxiliavam com as documentações. Hoje estamos sozinhos".


De acordo com Valdemir Santos, a assistência técnica tem sido feita, hoje, principalmente, por meio de editais. Ele reconhece que esse modelo realmente quebra a relação de maior proximidade entre técnicos e agricultores. "Essa relação contínua, principalmente com a agricultura familiar, tende a gerar melhores resultados, porque o técnico passa a realmente conhecer toda a propriedade, enquanto os agricultores passam a ter maior confiança no trabalho, e tendem a implantar as recomendações repassadas".


Associativismo


Uma das discussões envolveu a necessidade do fortalecimento dos agricultores familiares por meio do associativismo, como forma de acessar as políticas públicas do governo do estado, por meio da própria Biofábrica, bem como de outros entes. "Individualmente, o agricultor familiar só pode ter acesso às nossas mudas mediante compra direta. Através de uma associação, essas mudas são fornecidas sem custo para eles, por meio das políticas públicas do governo do estado, através da SDR - Bahiater", destaca Valdemir.


Ao final do encontro, o vereador ilheense Ivo Evangelista destacou a necessidade de fortalecimento da associação, para que também possa ter representatividade nas demandas junto ao Município de Ilhéus. O tema foi reforçado pelo diretor financeiro Sérgio Oliveira, que destaca o número de cerca de 200 associados, mas necessita de uma participação mais ativa de todos.


A equipe da Biofábrica teve ainda a presença do Coordenador do Parque Fabril, Paulo Sérgio Lima e do assessor Laerte Mendes.








96 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page