top of page

Novo contrato de cooperação técnica reforça parceria entre Biofábrica e Embrapa

Novo contrato de cooperação técnica reforça parceria entre Biofábrica e Embrapa


Após uma visita técnica, realizada por pesquisadores da Embrapa Mandioca e Fruticultura no mês de março, em que foram avaliadas as condições de desenvolvimento de novas variedades de mandioca no Instituto Biofábrica da Bahia, foi assinado, na quarta-feira (5), uma carta/proposta para um novo contrato de Cooperação Técnica entre as duas instituições. O novo documento amplia a parceria histórica, reforçando o desenvolvimento de mudas de alto padrão fornecidas pela Biofábrica a partir das pesquisas da Embrapa.


A Biofábrica é um dos principais parceiros na Rede Reniva, atuando em estreita relação com o Programa de Melhoramento Genético de mandioca da Embrapa Mandioca e Fruticultura desde 2012. O novo contrato de cooperação técnica e financeira tem o objetivo de avançar nos conhecimentos relacionados à produção de mudas com garantia de identidade genética e sanidade vegetal, por meio de experimentações e validações agronômicas.


O novo contrato com a Embrapa vai ao encontro das expectativas tanto do Governo do Estado quanto da Embrapa, no que se refere às ações para produzir ainda maior volume de mudas, miniestacas e outros tipos de materiais de plantio de mandioca, assim como mudas micropropagadas de novas cultivares de bananeiras e abacaxizeiros, produzidas pelos respectivos programas de melhoramento genético.


Com o novo contrato, serão realizadas ações para a execução de trabalhos de pesquisas e transferência de tecnologias. Essas ações consistem no desenvolvimento de tecnologias visando a micropropagação de mudas e/ou multiplicação por outras tecnologias, de cultivares de bananeiras, abacaxizeiros e mandioca, bem como o desenvolvimento de arranjos e procedimentos que contribuam para a promoção da Rede Reniva em todo o território nacional. 


Esta cooperação irá auxiliar na continuidade das ações de promoção da Rede Reniva, o que tem resultado na implantação de diversos maniveiros âncora e ponta, promovendo efetiva inovação no sistema produtivo da mandioca. Ademais, será de fundamental importância para que uma estruturação análoga à Rede Reniva seja implantada para a cultura do abacaxizeiro, compondo um novo modelo de negócios para esta cultura, ao qual denomina-se Rede Ananas. De igual importância é termos um parceiro que possa multiplicar em larga escala as mudas de bananeira de variedades lançadas pela Embrapa, de forma a equacionar as limitações de ordem biótica enfrentadas pelos bananicultores brasileiros.


Objetivos


O contrato de Cooperação Técnica terá como objetivos:


1. Produzir mudas convencionais de variedades de abacaxizeiro pela técnica do seccionamento de talos a partir de plantas básicas cedidas pela Embrapa Mandioca e Fruticultura, para os trabalhos de pesquisas e transferência de tecnologias da equipe técnica do abacaxizeiro.


2. Compor um arquivo contendo informações e os georrefenciamentos das áreas contempladas com as mudas do abacaxi BRS Imperial para a formação de Unidades de Demonstração (UD) e Unidades de Observação (UO), o que deverá ser parte dos relatórios anuais.


3.Trabalhar conjuntamente para a realização de eventos de lançamento de extensão de recomendação de variedades de mandioca, abacaxizeiros e bananeiras.


4. Trabalhar e participar conjuntamente para as atividades de lançamento e promoções pós-lançamentos de novos genótipos de mandioca, bananeiras e abacaxizeiros.


5. Trabalhar conjuntamente para a consolidação e operacionalização da Rede Reniva.


6. Conduzir, sob a orientação da Embrapa, a experimentação para a produção e difusão de miniestacas  e outros tipos de materiais de plantio de mandioca, no âmbito da Rede RENIVA.


7. Oferecer capacitação ao quadro técnico do Instituto Biofábrica da Bahia, mediante demanda sinalizada nas visitas técnicas mensais.


8. Transferência pela Embrapa ao IBB de genótipos de mandioca, bananeiras e abacaxizeiros.  


9. Produzir mudas e outros tipos de materiais propagativos de fruteiras para o cumprimento das agendas de lançamentos e promoções de novos genótipos lançados pelos programas de melhoramento genético da Embrapa.


10. Utilização das estruturas físicas do Instituto Biofábrica da Bahia para a realização de eventos técnicos, cursos e treinamentos que tenham relação com as culturas trabalhadas no âmbito deste plano de trabalho.


O Acordo de Parceria terá vigência pelo prazo de 36 meses, contados da data de sua assinatura, podendo ser alterado ou prorrogado a qualquer momento, mediante a assinatura de Termo Aditivo firmado pelos representantes legais das Partes. A carta/proposta para o contrato foi assinado pelo superintendente da Bahiater, Lanns Almeida, representando o governo do estado; pelo chefe geral da Embrapa Mandioca e Fruticultura, Francisco Ferraz Laranjeira Barbosa; e pelo diretor presidente da Biofábrica, Valdemir José dos Santos.


Confira o Vídeo abaixo!







79 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page